segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Complicados.

Postado por Laryssa Saboya às 06:51 0 comentários

Ele: Você continua ótima.
Ela: Você também, infelizmente.
Ele: Infelizmente?
Ela: Isso mesmo, infelizmente. Queria dizer que não te amo, mas não consigo.
Ele: Felizmente.
Ela: Felizmente?
Ele: Eu também não consigo e seria péssimo se você conseguisse.

domingo, 28 de novembro de 2010

hoje.

Postado por Laryssa Saboya às 11:48 2 comentários

Amor não é um lugar para ir e vir quando quisermos!

sábado, 27 de novembro de 2010

Um dia.

Postado por Laryssa Saboya às 06:04 0 comentários
Quando eu morrer, faça-me um favor. Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado. Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me. Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo. Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles. Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a todos, lá onde estiver. E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase: 'Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Frase do dia.

Postado por Laryssa Saboya às 05:56 0 comentários
~ Os passos para o sucesso são simples: Decida o que você quer. Verifique o preço. Pague o preço!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sempre.

Postado por Laryssa Saboya às 08:21 0 comentários
Esta Julieta está sangrando, mas você não pode ver o seu sangue. São apenas alguns sentimentos que esta velha sujeita jogou fora. Tem chovido desde que você me deixou, agora estou me afogando no dilúvio. Você sabe que sempre fui uma lutadora, mas sem você, eu desisto. Agora, não posso cantar uma canção de amor como deve ser cantada, bem, acho que não sou mais tão boa, mas querido, sou apenas eu. Sim, eu te amarei, querido, sempre, e estarei ao seu lado por toda a eternidade. Eu estarei lá até as estrelas deixarem de brilhar, ate os céus explodirem e as palavras não rimarem, e sei que quando eu morrer, você estará no meu pensamento e eu te amarei sempre. Agora as fotos que você deixou para trás, são apenas lembranças de uma vida diferente. Algumas que nos fizeram rir. Algumas que nos fizeram chorar. Uma que você fez ter que dizer adeus. O que eu não daria para passar meus dedos pelos seus cabelos. Tocar em seus lábios, abraça-lo apertado. Quando você disser suas preces, tente entender que eu cometi erros, sou apenas uma mulher. Quando ela abraçar você. Quando ela puxar você para perto. Quando ela disser as palavras que você precisa ouvir. Eu queria ser ela, porque aquelas palavras são minhas, para dizer a você até o fim dos tempos. Sim, eu te amarei, querido, sempre, e estarei ao seu lado por toda a eternidade. Se você me dissesse para chorar por você, eu choraria. Olhe para o meu rosto, não há preço que eu não pagaria, para dizer estas palavras a você. Bem, não há sorte nestes dados viciados, mas querido, se você me der apenas mais uma chance, nós podemos refazer nossos antigos sonhos e nossas antigas vidas. Encontraremos um lugar onde o sol ainda brilha.

Jon Bon Jovi - Sempre.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Apenas.

Postado por Laryssa Saboya às 05:25 5 comentários
Não passe tudo isso na minha cara, você sabe - é tudo que mais odeio. Eu sei que você fez muito por mim, não preciso que me digas, também fiz muito por você(não quero passar na sua cara). Mas hoje eu estou assim, diferente, esplendorosa, livre, leve, solta. E desejo permanecer assim por muito tempo, com a alma leve, com o coração tranquilo. Quero que saibas, que nada foi em vão, vá em boa hora, siga sua estrada e não fique a lamentar, eu estou aqui para o que precisar, diferente, mas ainda sou a mesma.

Por: Lary Scamp.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Resumo.

Postado por Laryssa Saboya às 12:06 5 comentários

Olhando para as páginas da minha vida tenho lembranças de você e eu. Alguns erros que você sabe que cometi, arrisquei algumas coisas, caí de tempos em tempos e você estava lá pra me ajudar a superar. Já estivemos por aqui algumas vezes, vou deixar tudo bem claro. Me pergunte como chegamos tão longe, a resposta está escrita em meus olhos. Toda vez que olho para você, vejo algo novo que me deixa mais animado do que antes e me faz te querer mais. Não quero dormir essa noite, sonhar é uma perda de tempo. Quando olho o que a vida vem se tornando, tudo se resume a amar você. Já vivi, já amei, já perdi, já paguei dívidas, já estive no inferno e voltei e dentre tudo isso você sempre foi minha melhor amiga. Por todas as palavras que eu não disse e todas as coisas que eu não fiz. Hoje vou encontrar um jeito. Você pode acabar com o mundo todo. Você é tudo que eu sou. Somente olhe para minha cara, tudo se resume a amar você.

Recebidas!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Olhos de ressaca.

Postado por Laryssa Saboya às 07:45 3 comentários

Tinha-me lembrado a definição que José Dias dera deles, "olhos de cigana oblíqua e dissimulada." Eu não sabia o que era obliqua, mas dissimulada sabia, e queria ver se podiam chamar assim. Capitu deixou-se fitar e examinar. Só me perguntava o que era, se nunca os vira, eu nada achei extraordinário; a cor e a doçura eram minhas conhecidas. A demora da contemplação creio que lhe deu outra idéia do meu intento; imaginou que era um pretexto para mirá-los mais de perto, com os meus olhos longos, constantes, enfiados neles, e a isto atribuo que entrassem a ficar crescidos, crescidos e sombrios, com tal expressão que... Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca. Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros, mas tão depressa buscava as pupilas, a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura, ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me. Quantos minutos gastamos naquele jogo? Só os relógios do céu terão marcado esse tempo infinito e breve.


Dom Casmurro é um romance escrito por Machado de Assis, publicado em 1899.
Muito bom, recomendo.
O que seus olhos dizem sobre você?

Template by:

Free Blog Templates