terça-feira, 21 de setembro de 2010

Arrependimento.

Postado por Laryssa Saboya às 06:57


Ela parecia pasma com o que acabara de ouvir da amiga, ela nunca havia a tratado daquela forma e isso a havia deixado muito magoada, porém um leve suspiro de alivio surgia nela, ela parecia não mais se importar com o que a amiga tinha feito, parecia que ela estava satisfeita, e saiu do quarto em estado de hibernação, uma hora chorando outra hora sorrindo, e nada nem ninguém podia a compreender naquele momento, e ela gritava na rua vazia, era meia noite, e como não havia pessoas nas ruas ela achava que uns gritinhos a faria bem, e ela continuava a gritar, quando de repente se depara com um rapaz, ele até era bonito, diante de toda exigência complexa que ela vivia, ela conseguiu admitir ele era bonito, parecia jovem, mas de uma masculinidade inconfundível, ele a parou e disse - tudo bem com você? o que uma moça tão bonita faz sozinha na rua uma hora dessa? - ela responde - era o que eu também queria saber. Inevitavelmente dali começou a surgir uma amizade, parecia que ele a compreendia e ele parecia estar a vontade com aquela pessoa que nunca havia visto. Quando de repente ela começa a chorar e ele pergunta - o que aconteceu? - foi alguma coisa que eu disse? E ela diz - não, me desculpa, você não tem nada haver com isso, mais eu preciso desabafar, hoje eu peguei minha amiga com meu namorado, e ela me disse coisas horríveis, que nunca pensei ouvir de alguém, nem mesmo de um inimigo, isso era pra ser tão trágico, é na verdade, o que posso fazer é chorar. E o moço diz - não fique assim, sua amiga é que deve esta triste agora por ter feito isso com você, quando ela se der conta, ela vai perceber a grande besteira que fez. E o que Cibele consegue fazer com as palavras do homem, é chorar freneticamente em desespero. E ele diz, desculpa acho que não estou ajudando muito. E ela diz - você me fez sentir tão culpada quanto ela, na verdade eu trai ela com o namorado dela(hoje ela não namora mais com ele), e hoje percebi quanto é duro ser traída por alguém que a gente gosta com uma pessoa que a gente ama, e você me fez sentir completamente hipócrita, pra falar a verdade, ela nem sabe do ocorrido, mas pra mim, as palavras que saiam da boca dela hoje, parecia que estava saindo de um espelho, de mim pra mim mesma, no começo eu até fiquei aliviada, pois o peso da minha consciência havia saído, afinal eu também havia feito a mesma coisa com ela, e aquilo me parecia justo. Porém agora vejo que foi exactamente o contrario, ela foi corajosa e contou que estava gostando dele, que estava apaixonada, eu fui covarde, e trai por fraqueza, que monstro eu sou não? você não deveria estar falando comigo, eu sou um monstro não está vendo? e ele disse vejo uma menina frágil, humana com imperfeições igual a todo ser humano, que errou e que se arrependeu, mostrando que é verdadeiramente do bem. E um sorriso tímido começou a brotar do seu rosto, ele a fez sentir limpa, e quando fui se aproximar dele para agradecer ele recuou e correu, e ela ficou sem entender o motivo, de repente olhando para traz estava sua amiga, que deveria estar ali, há algumas horas, e consequentemente havia ouvido tudo que ela tinha falado, ela imediatamente, ainda assustada, encheu seus olhos de lágrimas, e falava descontroladamente - desculpa, perdão, desculpa... e ela venho em sua direcção e a deu um abraço dizendo - me perdoe você, eu fui dura, e mesquinha, eu te amo e não quero vê você triste... e ela disse - e o Mateus? - Ela disse - aquilo tudo foi uma brincadeira, eu nunca fui apaixonada por ele, e nunca te trai com ele, eu apenas já sabia que você havia me traído, e nunca me contou, o que me doeu mais, pois você em nenhum momento me mostrou arrependimento, e hoje eu quis vê, se você realmente era tão dura quanto parecia ser, e se você não iria me contar a verdade nunca. - ela a olhou assustada, não sabia quanto miraculosa era sua amiga, e ela se sentiu a pior pessoa do mundo, se ajoelhou e implorou o seu perdão, a amiga a levantou e disse - amiga hoje eu vi que você esta verdadeiramente arrependida, que minha amizade pra você é importante, porque você conseguiu me entender, mesmo amando o Mateus, você estava se sentindo bem pior, o que ocorreu ninguém pode apagar, mas pra mim o que importa é que hoje(nesse momento o sol estava nascendo) junto com o nascer do sol, hoje, nasce uma nova amizade!

Por mim mesma Lary Scamp in história da carochinha.

16 comentários on "Arrependimento."

Misturação - Ana Karla on 21 de setembro de 2010 07:37 disse...

Magnífico Lary!

As vezes as pessoas se sentem traídas quando na verdade elas que são as traídoras.
Porém sabemos que somos humanos e dignos de erros.
Pode acontecer no amor, com a família, amigos, vizinhos, colegas.

Gostei demais da forma como escreveu.
Já tens algum livro?

Xeros

Yasmine Lemos on 21 de setembro de 2010 09:48 disse...

Temos sempre o dedo indicador apontando para os outros, porém esquecemos que ficam os outros quatro apontando para os nossos erros e nós não queremos enxergar.
parabéns pela cronica
beijo

Mariana on 21 de setembro de 2010 15:23 disse...

vim a teu convite aqui no teu blog e já estou te seguindo.
Gostei dele, eu sou fã da Martha Medeiros e vi que tu gostas.
Qt ao teu texto, nós somos imperfeitos e antes de julgas os outros, devemos olharmos para nós mesmos. assim seremos mais justos.

Isa mar on 21 de setembro de 2010 16:56 disse...

O arrependimento é um passo muito importante quando se cometem erros, mas depois vem a reparação
Que bom que sempre podemos voltar atrás e fazer um novo começo
Beijos em seu coração!

Mara D'Almeida on 22 de setembro de 2010 06:07 disse...

Lary, Obrigada pela visita!!! vou te adicionar aos blogs que visito e te seguir. Você escreve muito bem, Parabéns!!!

Cintia Branco on 22 de setembro de 2010 06:12 disse...

Lary,

Vim agradecer a visita e gostei muito dos seus textos. Passarei mais vezes por aqui.
Beijos

Ana on 22 de setembro de 2010 15:33 disse...

Obrigada pela visita lá no Balde!
Lindo texto!
Vou seguir seu blog.
Beijos

Juliana Dias on 22 de setembro de 2010 18:37 disse...

O querida, obrigada pela visita. Estou participando do seu blog, pois me identifiquei muito!

Siga lá tb!

tamara furlan on 22 de setembro de 2010 20:59 disse...

para perdoar alguem, tem que primeiramente aprender a perdoar a si proprio!
belissimo texto, eu adorei mt, adorei como descreveu isso. beijao! <3

Lary Scamp on 23 de setembro de 2010 08:09 disse...

Muito obrigada a todos, fico muito feliz que tenham compreendido a mensagem que quis passar com esse texto. bjs...

giu batista on 23 de setembro de 2010 10:45 disse...

uma verdadeira poetisa, hein!? hehehehe.

parabéns pelo blog *-*
tudo de bom!

obrigada pela consideração!

(L)

Marilu on 23 de setembro de 2010 15:47 disse...

Querida amiga, primeiramente vim agradecer a visita, seja muito bem vinda. Conhecendo teu espaço adorei e vou te seguir. O perdão é o mais nobre dos sentimentos, mas as vezes é difícil ser tão nobre. Beijocas

Leo'Brasil on 24 de setembro de 2010 13:38 disse...

Gostei de passar aqui...
tô seguindo também.
bjos

Diana Carla on 24 de setembro de 2010 17:20 disse...

oi Lary vim conhecer seu espaço pelo convite deixado no esconderijo...chego e vejo que é minha coterranea... Fortaleza é? sou de Fortaleza mas não moro mais nesta linda cidade faz sete anos...
obrigada pela visita volte sempre que quiser o esconderijo é nosso!!

gostei daqui e estou seguindo voltarei mais vezes...

bjinhus...

Vanessa Souza Moraes on 25 de setembro de 2010 19:17 disse...

O final tem um quê de Casablanca.

Lary Scamp on 26 de setembro de 2010 04:26 disse...

Giu, obrigada.
Marilu, que bom que gostou, é verdade perdoar é quase sempre dificil, bjs.
leo, Obrigada, bjs.
Diana, pois é, sou de fortal msm. bjos e seja bem vinda.
vanessa, nossa, um quê de casablanca, muitissimo obrigada. bjos.

Postar um comentário

E quem pode comigo quando eu digo tudo o que sinto?

Template by:

Free Blog Templates